Imagem: Pixabay
Fonte: Agência de Notícias do Maranhão 

Mulheres internas de Pedrinhas ganharam a oportunidade de participar de um programa pioneiro no País, que vai incentivar o empreendedorismo social. Trata-se da Cooperativa Social Cuxá, iniciativa do Instituto Humanitas360 e apoiada pelo Conselho Nacional de Justiça, Tribunal de Justiça e Governo do Maranhão.

O programa vai atender 100 mulheres, inicialmente, com oficinas e minicursos em áreas como corte e costura, técnicas de bordados e outros segmentos com os quais as internas tenham afinidade e possam empreender após cumprirem o processo de ressocialização.

Para além das habilidades técnicas, as atividades da Cooperativa terão foco, também, nas competências socioemocionais das cooperadas, visando à ressocialização das internas, como explica a presidente do Humanitas360, Patrícia Villela.

“O nosso objetivo é que essas mulheres, enquanto se preparam para a saída, sejam fortalecidas de maneira a não reincidir. Queremos, ao longo do tempo, provar que o trabalho de desenvolvimento de competências, aqui dentro do presídio, diminui a reincidência dessas mulheres quando reintegradas à sociedade”, ressaltou Villela.

Durante a primeira apresentação do programa, que ocorreu nesta semana, foi possível constatar o entusiasmo das internas pelos olhares atentos e esperançosos. Elas sonham e acreditam em um futuro bem diferente da realidade atual.

“Eu acredito em um novo recomeço. Essa é uma oportunidade única para quem, assim como eu, quer recomeçar. E eu quero muito recomeçar; esquecer o passado, sair daqui, abrir o meu próprio negócio e ser feliz numa vida nova”, contou emocionada Suelma Furtado.

Para Keitiany Mesquita, a cada nova oportunidade de aprendizado oferecida às internas, aumenta ainda mais o seu desejo de provar que o amanhã será diferente.

“Estou aqui desde 2012, e cada vez o sistema vem melhorando mais. Eu abraço todas as oportunidades que chegam pra gente e sonho com o dia que vou sair daqui e começar uma nova etapa”, relatou a interna, que é designer de tranças e sonha em trabalhar na área futuramente.

A Cooperativa Cuxá se soma a outras iniciativas de ressocialização realizadas pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) desde 2015.

“O Governo do Estado vem dedicando esforços para avançar em questões estruturais de segurança, mas principalmente para aquilo que é a missão do sistema penitenciário: a ressocialização da pessoa presa. A Cooperativa é mais uma ação importante que visa atingir esse objetivo”, destacou a secretária-adjunta de Atendimento e Humanização da SEAP, Kelly Cristina Carvalho.

****

Mais detalhes e imagens sobre o Projeto podem ser acessado pela página do Facebook do Instituto Humanitas360