Pessoas com deficiência

Alunos brasileiros criam App que ajuda cegos a identificarem ônibus

FONTE: Só Notícia Boa - Por Rinaldo de Oliveira - Foto: reprodução / TV CulturaFoto: reprodução / TV Cultura

É o BusID, desenvolvido por alunos de Engenharia da Computação da UFPA, Universidade Federal do Pará.

Ele funciona sem conexão com a internet. Basta o usuário abrir o aplicativo e apontar em direção ao ônibus – a uma distância de 10 metros – que ele identifica e diz, por um sistema de voz, para onde vai aquele bus. (vídeo abaixo)

A ferramenta tem recursos de visão computacional. Ela identifica o código que tem ao lado do ônibus e associa à linha do ônibus que tem na base de dados.

Por enquanto o BusID funciona apenas na região Metropolitana de Belém, no Pará, mas a idéia é levá-lo para ajudar pessoas com deficiência visual em todo o Brasil.

“O futuro que nós queremos pra ele é expandir para outras regiões metropolitanas. A próxima que queremos escalar é para a cidade de Fortaleza no Ceará”, explicou Risonaldo Moura, um dos criadores do App, ao SóNotíciaBoa.

Depois disso, os estudantes têm planos maiores para o aplicativo.

“O que nós queremos é tornar o BusID um aplicativo nacional e posteriormente uma ferramenta global”. Estamos estudando parcerias com ferramentas de transito que ja tenham uma base de dados de linhas de ônibus”, disse Risonaldo.

“Nós estamos trabalhando pra futuras atualizações dele e num futuro licenciamento. Nós pretendemos criar uma empresa pra que suporte o modelo de negócio de impacto do BusID. Pra isso nós procuramos financiamento de empresas”.

Como

Ao abrir o BusID, o usuário escuta uma voz dizendo “Olá” e é levado à tela principal do aplicativo, na qual é mostrada a imagem da câmera.

Quando nesta imagem houver um ônibus com seu código visível, o App diz a linha daquele ônibus, automaticamente, sem precisar de nenhum toque na tela ou botão.

Se outro ônibus surgir na imagem, o BusID também dirá a linha deste outro.

O aplicativo tem um banco de dados com 166 ônibus –  cerca de 98% dos que circulam na Região Metropolitana de Belém – e os estudantes querem agora aplicar esse banco de dados.

Aprovado

Moisés, um aluno da universidade que é deficiente visual, testou o aplicativo.

“Se mostrou rápido. Quando identificou, ele já começou a ler o nome do ônibus. Aquele momento em que eu teria de perguntar “que ônibus é esse”, eu já vou em direção porque eu já seu qual ônibus é”, comemorou Moisés Neto ao Jornal da Cultura.

Ter que perguntar para os outros “torna ele dependente. Isso exclui socialmente. O BusId pretende também diminuir essa dependência”, explicou Risonaldo.

O aplicativo, que torna o deficiente visual mais independente, foi criado por os alunos do 8º semestre de Engenharia da Computação, Alberto Neto, Alexandre Nogueira, Risonaldo Moura e João Borges.

Alberto Neto, outro estudante que ajudou a criar o aplicativo se disse feliz em poder usar com sucesso o app e faz planos:

“Eu pretendo seguir com a área de empreender, fazer novas tecnologias na área de inteligência artificial quando me formar”, concluiu.

Por enquanto o BusID está disponível apenas para smartphones do sistema Android, mas até março poderá ser acessado também pelo sistema IOS, da Apple.

Ele é gratuito. Baixe na Google Play .

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa – com informações do Jornal da Cultura, UFPA

 

Cadastre-se em nosso informativo
  1. Nome
    Please let us know your name.
  2. Email
    Please let us know your email address.
  3. Captcha(*)
    Captcha
    Invalid Input