Inclusão Social

Jovem com síndrome de Down fala 4 idiomas, toca violino e dá palestras ao redor do mundo

FONTE: RPA 

A história de Emmanuel afasta de vez o preconceito contra pessoas com síndrome de Down. Com 20 anos, ele conseguiu muito mais do que muitos jovens da sua idade.

Aos 20 anos de idade, o estudante Emmanuel Joseph Bishop já voa mais alto do que muitos jovens e adultos da sua idade. Ele fala inglês, espanhol, francês e latim com absoluta fluência. Além disso, toca violino com destreza e dá palestras nos Estados Unidos e em outros países. Para Emmanuel, a síndrome de Down é apenas um detalhe.

Entre os concertos com orquestras sinfônicas e os estudos, o rapaz dá um jeito de encaixar também um tempo para dar palestras, onde busca conscientizar seu público e evitar o aborto de bebês diagnosticados com a síndrome, provando, por experiência própria, que indivíduos com Down são absolutamente capazes e hábeis para se tornarem o que quiserem.

História e convívio com a síndrome de Down

Emmanuel Joseph Bishop nasceu em 1996 na cidade de Grafton, na Virgínia Ocidental (EUA).

Desde cedo, começou a surpreender seus pais. Com 2 anos, já dominava o idioma inglês e aos 3 já era capaz de ler cartões em francês num colégio de Ilinóis.

Quando completou 6 anos, leu o discurso de boas vindas da conferência anual da Sociedade Nacional da Síndrome de Down. Detalhe: Bishop fez isso em três idiomas diferentes para um auditório de mais de 600 pessoas.

Em seguida, aprendeu a tocar violino, uma das suas grandes paixões. Com 8 aprendeu a andar de bicicleta e foi medalhista nas Olimpíadas Especiais do seu estado, tanto em Golf como em Natação, onde ganhou os 200 e 400 metros livres.

Com 10 anos, cravou recordes na categoria de juniores em diferentes provas de natação dos Estados Unidos.


Violino

Na adolescência, aprofundou seu amor pelo violino. Tocou um recital no décimo congresso mundial de síndrome de Down, na Irlanda, em 2009.

Com 13 anos, se tornou auxiliar em sua paróquia e aos 14 anos recebia o sacramento da Confirmação. Ele faz suas orações em latim.

Em 2010, realizou seu grande sonho: no dia mundial da síndrome de Down foi convidado a tocar na Turquia com uma orquestra sinfônica.


Missão

Emmanuel afirma querer usar o “dom que recebeu de Deus” para uma causa maior.

Seu desejo é demonstrar que todos os indivíduos são igualmente dotados de habilidades e convencê-los da capacidade interna que cada pessoa carrega em si mesma. O rapaz usa o seu exemplo de superação para despertar mais rapazes e garotas e usa 4 pontos na missão:

Destacar as habilidades, talentos e potencial das crianças na mesma condição
Quebrar o mito das baixas expectativas atribuídas aos jovens com síndrome de Down

Demonstrar que a alegria de viver não se opõe a estas pessoas

Alertar para a incidência de que tudo o que está dito e escrito acerca da síndrome de Down tem origem em pessoas que não possuem esta condição.
Testemunho

Na convenção anual sobre Trissomia 21 em Houston, no Texas, Emmanuel impressionou a todos contando sua história de vida, suas viagens pelo mundo, seus estudos e o seu violino.

Uma vez no palco, ele falou em inglês e francês, comentando as obras de arte que havia admirado na sua passagem por Paris. E ainda respondeu a perguntas do público sobre sua vida e a síndrome de Down.