Terceira Idade

Em estado terminal, senhora de 92 anos desafia diagnóstico dos médicos para conhecer a tataraneta

FONTE: REFLETIR PARA REFLETIR 

Esta vovozinha estava de coração partido: Jean Roper, de 92 anos, lutava contra uma depressão profunda após a morte do seu filho mais velho há quatro anos atrás. 

A perda desestabilizou Jean completamente, afinal, não existe dor maior para uma mãe do que perder um filho.A americana também sofria com insuficiência renal e baixos níveis de oxigenação do sangue.

 Ela estava muita debilitada e os médicos não demoraram para anunciar o sombrio diagnóstico: em janeiro deste ano, disseram que Jean só teria mais duas ou três semanas de vida.

Mas por amor a sua netinha a vovó conseguiu o impossível.Jean tem três filhos, sete netos, 11 bisnetos e 11 tataranetos, sendo que quase todos são meninos.

Quando ela descobriu que sua bisneta, Amber, iria ter uma menininha e que o nome dela seria Magnólia Jean, em sua homenagem, esta avó teve uma melhora milagrosa: ela estava determinada em viver para conhecer a bebê.“Ela estava muito entusiasmada e dizia a todos que só gostaria de viver o suficiente para ver aquela menininha”, explicou a bisneta Kayla Tracy, à revista People.E Jean conseguiu!

A bebezinha nasceu no dia 31 de janeiro e trouxe mais alegria e esperança ao coração desta simpática senhora:“Ela ajudou a manter a minha mente longe dos problemas. Ela era tão pequena e todas as partes delas eram tão perfeitas…”, diz a tataravó.Hoje vovó e a netinha estão muito bem. A melhora de Jean tem sido tão significativa que recentemente os enfermeiros removeram o uso de cilindros de oxigênio, porque Jean já não precisa mais deles.

É ou não é o poder do amor?