Abuso infantil

A campanha “Não é permitido tocar” aumenta a conscientização sobre o abuso infantil no Paquistão

FONTE: GLOBAL VOICES 

Esforços para acabar com o abuso infantil no Paquistão

O Ministério Federal dos Direitos Humanos do Paquistão iniciou uma campanha para aumentar a conscientização sobre o abuso infantil no país. A campanha destaca a necessidade para que pais, professores e a sociedade em geral sejam vigilantes e informem as crianças sobre os predadores infantis. Como em muitos países, o abuso infantil é um problema grave que muitas vezes não é relatado. Esta é a primeira campanha do gênero no país e já recebeu uma resposta calorosa de ativistas e do público em geral.

Um homem tenta tocar uma criança em um parque e sequestrá-la, mas se a criança começa a gritar e as outras se juntam ao redor dizendo: “não é permitido tocar”.

O abuso infantil não é um fenômeno recente nem está restrito a uma região específica. Segundo a Sahil, uma ONG que trabalha em serviços de proteção infantil, cerca de 3.445 crianças ( 2017 meninas e 985 meninos) sofreram abusos no Paquistão em 2017. No entanto, esse número é muito maior, pois a maioria dos casos não é relatada devido ao estigma social associado à questão e ao longo processo de investigação pela polícia. Infelizmente, as vítimas são frequentemente abusadas por seus parentes ou por alguém que conhecem e confiam, fazendo com que muitas delas permaneçam em silêncio.

Nos últimos anos, vários escândalos de abuso infantil chocaram a nação. Em 2016, o escândalo de abuso infantil Kasur ganhou as manchetes e, em 2018, o estupro e o assassinato de Zainab Ansari, uma menina de 6 anos, gerou protestos. Estes casos foram amplamente discutidos nas redes sociais e as pessoas exigiram que o governo punisse os culpados e protegesse as crianças.

Ajudando a configurar a campanha
O ministro dos Direitos Humanos agradeceu os dois grupos de direitos locais, Kasur Hamara Hai ( KHH ) e Shehri Pakistan, por ajudar a iniciar esta campanha e reunir vídeos para usar na campanha.

“Quero agradecer Shehri e Kasur Hamara Hai (KHH) por nos ajudar com o nosso programa de conscientização sobre o abuso infantil, fornecendo os vídeos de conscientização voluntariamente.” – Shireen Mazari

A Global Voices falou com Shimaila Matri Dawood, integrante do grupo Kasur Hamara Hai (KHH) e diretora-administrativa de uma empresa de gerenciamento de mídia, para saber mais sobre sua contribuição para a campanha:

“Shimaila Matri Dawood: Foi depois do brutal estupro e assassinato de Zainab Ansari que um grupo comum de voluntários com os mesmos interesses se uniu na formação grupo do Facebook “Kasur Hamara Hai“, para realizar duas tarefas. A primeira: lutar pelo estabelecimento de um sistema de alerta, resposta e recuperação de crianças desaparecidas, que será acionado quando receber a notíca de desaparecimento de uma criança em qualquer lugar do Paquistão; e a segunda, criar uma série de vídeos para conscientização sobre abuso infantil e ações necessárias para proteger as crianças dos predadores.”

Global Voices (GV): O que você acha desta campanha lançada pelo Ministério dos Direitos Humanos?

Shimaila Matri Dawood: Ficamos muito gratos a todos que solicitamos que dedicassem seu tempo, conhecimentos e equipamentos gratuitamente, e que colocaram seus corações e almas para fazer uma campanha educativa sobre a prevenção do abuso infantil. Posteriormente, dois desses vídeos foram entregues à Dra. Shireen Mazari e MOHR para uso no lançamento de uma campanha de serviço público sobre proteção infantil

Nas redes sociais, a campanha foi amplamente apreciada pelos usuários e a hashtag #ChoonaManaHay (não é permitido tocar) foi tendência no Twitter:

Boa medida, é questão de tempo para chamar a atenção sobre esse assunto. Os professores podem desempenhar um papel muito importante. O treinamento dos professores deveria ser compulsório. Esporadicamente, deveria haver palestras especiais sobre esse assunto nas escolas.

Com todos os casos horríveis de abuso e molestamento de crianças sendo relatados, já é hora de ensinarmos para as crianças a diferença entre “Toque Bom e Toque Ruim”.

O governo paquistanês tomou uma série de medidas para prevenir o abuso infantil. O Ministério dos Direitos Humanos criou o Centro Nacional de Proteção à Criança, que oferece educação, aconselhamento e tratamento médico gratuitamente. Também foi criado um serviço de telefônico gratuito de ajuda (1099), onde é possível denunciar questões de direitos humanos, incluindo o abuso infantil.

No entanto, o Paquistão necessita outras campanhas além da #ChoonaManaHay para atingir todos os cidadãos e criar um impacto maior na prevenção do abuso infantil.