Fonte: Campo Grande News  -  Imagem: Pixabay

Em tempos de frio e pandemia, as doações caem, enquanto a procura por bolsas de sangue continua sem mudanças.

Através de ações solidárias como os ocorridas neste sábado que o estoque de sangue do Hemosul encontra esperança. Em tempos de frio e pandemia, as doações caem, enquanto a procura por bolsas de sangue continua sem mudanças. Grupos de voluntários têm se reunido e agendado no Hemosul para realizar coletivas tendo em mente que uma bolsa pode salvar até quatro vidas.

Diretora do programa Mãos que Ajudam, na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Valéria Coelho de Brito, de 58 anos, explica que eles mobilizaram 55 pessoas para doação de sangue neste sábado. A iniciativa de hoje é parte de uma ação que desenvolve atividades como doação de roupa de cama para hospitais, kit enxoval e doação de máscaras. 

"Sabemos que no inverno o Hemosul tem baixo estoque de doação. Com isso nos mobilizamos nessa época para poder ajudar. Serão quatro meses de doação, a comunidade tem que fazer a sua parte, poderia ser um parente precisando de sangue, não sabemos o dia de amanhã ", pontua.

Na visão dela, o bem existe entre as pessoas, e o que falta muitas vezes é organização. "Para chamar essas pessoas para doarem", completa. 

Técnica de captação do Hemosul, Suellen Moreira fala que o estoque sofre desde o início da pandemia e somado ao frio, a procura de doadores caiu. Hoje com as ações dos grupos a rede conseguiu agendar 170 pessoas para fazer a doação. 

"É uma iniciativa maravilhosa e agora como abrimos o dia todo no sábado conseguimos marcar com os grupos. Essa ajuda aumenta o nosso estoque e o apelo que fazemos aqui é para que as pessoas que acontecem com boa saúde venham doar, porque estamos precisando sempre" , enfatiza a técnica.

Assistente comercial, Mariana Chaves, de 37 anos, era uma das voluntárias de hoje. Há mais de 17 anos ela doa sangue, mas desde 2020 gozo o quanto é importante o gesto ao estar do lado de lá, de quem precisa da doação.

"Minha filha tem 13 anos, no ano passado precisou de doação para uma cirurgia, imagina outras famílias não precisam? Essa é uma forma de ajudar vidas, toda vez que eu doo é uma forma de contribuir para uma sociedade", ensaios.

Funcionário da construção civil, Eduardo Soares Pereira, de 43 anos, falou em nome do Insanos Motoclube que está com uma ação para arrecadar 10 mil bolsas de sangue em todo País.

"Aqui em Campo Grande somos 40 pessoas, é a segunda vez que a gente se junta. Já citada 30 pessoas doar, se você não tem nenhum problema de saúde, venha também. Porque doar sangue salva vidas", deixa o recado.

Agendamento - É possível agendar a doação de sangue no Hemosul pelos telefones (67) 3312-1516 / 3312-1529 e (67) 99298-6316 WhatsApp.

Para doar sangue é preciso estar com documento oficial com foto, como carteira de identidade ou de motorista. Os doadores precisam ter entre 16 e 69 anos, no entanto, adolescentes precisam estar acompanhados do responsável para doar.

Embora a legislação permita a doação de pessoas abaixo de 50 Kg, a Rede Hemosul no Estado reserva-se o direito de aceitar apenas doadores com 55 kg ou mais, para a melhor utilização do sangue coletado e segurança do doador.

Homens podem doar até quatro vezes ao ano com um intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com um intervalo mínimo de três meses. é importante também doar antes de tomar uma dose de qualquer vacina, e claro, estar bem alimentado.

Além dos critérios de idade, peso e estar bem alimentado, quem tomou a vacina também precisa se atentar para o prazo. Imunizados com a Coronavac devem esperar dois dias para doarem. Já quem declarar a Astrazeneca ou a Pfizer, o prazo é de sete dias após a aplicação.

O Hemosul está localizado na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 1304, no Centro.