O projeto "Tampatinhas" possui mais de 180 pontos de coleta que são convertidos na castração dos animais que foram resgatados.

Fonte:
G1 - Imagem: Instagram/Reprodução

O projeto "Tampatinhas", de Cuiabá, está arrecadando tampas de refrigerante, sucos, leite e anéis de latas para ser vendidos para empresas e o dinheiro é destinado à castração de animais resgatados em situação de rua.

Mais de 50 animais já foram castrados desde o início do projeto, em agosto do ano passado.

Depois de castrados, os animais ficam em lares temporários até se recuperarem e depois irem para adoção. Quando estão recuperados, os animais estão prontos para encontrar um novo lar.

A empresária, diretora e idealizadora do projeto, Kelly Rondon, conta que essa etapa é a que impede o projeto de castrar mais animais, já que poucos pessoas se disponibilizam para abrigar os animais.

"Precisamos de pessoas que disponibilizem o cantinho da sua casa para ter mais animais castrados. São apenas quatro ou cinco pessoas que se disponibilizam para deixar o animal castrado na casa deles enquanto ele se recupera", afirma.

Os animais escolhidos para a castração são cachorros e gatos resgatados que foram abandonados ou que estão sozinhos nas ruas. Mais de 15 voluntários fazem todos os processos de coleta das tampinhas, resgate dos animais, lar temporário e logística.

O projeto possui mais de 180 pontos de coleta de tampinhas em Cuiabá, Várzea Grande e outros quatro municípios de Mato Grosso. No total, eles já arrecadaram mais de três toneladas de tampinhas.

O projeto enfrenta dificuldades na adoção dos animais. O gatinho "Pirata" foi resgatado com um inchaço no olho e órgão precisou ser retirado. Ele já foi castrado, mas ainda não foi adotado, possivelmente por causa da deficiência.

Além da arrecadação de tampinhas, há um mês foi criado uma loja virtual que vende livros como romances, livros infantis e livros literários pelo Instagram. Os voluntários recebem esses livros que são doados, catalogam e selecionam para a venda.

Para doar os livros, é preciso entrar em contato na rede social que uma voluntária busca os livros na casa do doador.

O projeto também entrega em domicílio cobrando uma taxa ou podem ser retirados com o voluntário.

De acordo com a diretora do projeto, futuramente ela pretende fazer uma casa de recuperação para esses animais para conseguir castrar e ajudar a maior quantia possível.

"É uma realização pessoal, um sonho sendo realizado. Quero ainda fazer muito mais, como ter um espaço para fazer o lar de recuperação pós cirúrgico desses animais", afirma.