Imagem: Pixabay
Fonte: Governo do Estado de São Paulo 

Equipamento conquista primeira colocação no #BeTheBoss, iniciativa do Parque Tecnológico de Sorocaba e Sebrae

Gabriel Silva Naime, de 18 anos, criou um equipamento para tratar água sem o uso de cloro. Aluno do curso técnico de Química da Escola Técnica Estadual (Etec) Rubens de Faria e Souza, de Sorocaba, Naime desenvolveu um projeto que prevê o tratamento a partir da geração de plasma, que é uma massa de gás ionizado formado em altíssima temperatura ou frequência.

O trabalho conquistou a primeira colocação na terceira edição do desafio #BeTheBoss, iniciativa do Parque Tecnológico de Sorocaba, em parceria com o escritório regional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e instituições de ensino locais, com o objetivo de aumentar o interesse dos jovens pelo mercado de inovação. O concurso envolveu mais de 400 projetos de 23 instituições de ensino da região. O projeto Plasma foi orientado pelos professores Edgard Tardelli e Regina Raszl.

“Após um ano e meio de experimentações e testes nos laboratórios da Etec, chegamos à conclusão de que o plasma é 3,2 mil vezes mais potente que o cloro, além de não apresentar riscos à saúde e não gerar resíduos químicos, reduzindo gastos com a operação”, disse o aluno. Segundo ele, a ideia surgiu após a leitura de publicações sobre o uso do plasma na esterilização de materiais médicos.

Naime usou equipamentos de baixo custo, como uma bomba de vácuo e um transformador de alta frequência, para criar o reator de plasma foram utilizados. A solução também permitiu ao jovem desenvolver um polímero biodegradável com maior resistência para aplicação comercial.

O aluno recebeu R$ 5 mil na premiação ao projeto Plasma e ele pretende usar o dinheiro para aprimorar o equipamento. “A intenção agora é avançar da produção em laboratório para um projeto piloto, o que irá permitir a realização de testes para verificar o potencial de aplicação em larga escala”, afirmou. Também como parte do prêmio do desafio, Naime participará neste ano de um programa de aceleração na incubadora do parque tecnológico.