Fonte: IFCE Ministério da Educação

Ferramenta desenvolvida pelo IFCE se expande e já pode receber cadastros de comerciantes de todo o país

Diversos estados já começam a adotar a plataforma Fique no Lar, desenvolvida por pesquisadores e alunos do Instituto Federal do Ceará (IFCE) para realizar o mapeamento dos comércios e serviços, ajudando empreendedores em meio à pandemia de Covid-19. O serviço foi expandido, e agora já é utilizado por comerciantes de cinco unidades da federação.

O Governo do Estado da Bahia foi o primeiro a mostrar interesse no potencial da ferramenta fora do Ceará. As equipes das Secretarias de Desenvolvimento Econômico (SDE) e de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) baianas entraram em contato com o IFCE para solicitar a utilização do site, com o intuito de cadastrar os estabelecimentos que estão realizando delivery na capital Salvador e em cidades do interior. Por lá, já são 205 comerciantes cadastrados - farmácias, restaurantes, pet shops, papelarias, supermercados e outros.

A secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia, Adélia Pinheiro, elogiou o portal criado pelo IFCE. "É uma plataforma simples e amigável, que ajudará toda população nesse período de acesso reduzido a produtos e serviços. O foco é voltado para os pequenos negócios, para que esses tenham maior visibilidade e, assim, consigam entregar seus produtos e ou serviços", destacou.

O Rio Grande do Norte também já começa a utilizar o site cearense, com dois estabelecimentos cadastrados, enquanto o estado do Pará tem um. Também foi registrado um cadastro em Pernambuco. O Ceará tinha, até a manhã desta terça (14), 316 cadastros, totalizando 525 negócios registrados no portal. Hoje, a plataforma está aberta para cadastros oriundos de qualquer estado brasileiro.

"Temos mais de 5.700 acessos desde que a plataforma foi lançada. O Governo da Bahia está utilizando o Fique no Lar como uma ferramenta oficial de apoio aos comerciantes, e nos passando informações para aprimorar o sistema", destacou a professora Carina Oliveira, coordenadora do projeto Fique no Lar e docente do IFCE campus Aracati.

O pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do IFCE, Wally Menezes, comemorou a expansão do projeto. "Isso demonstra mais uma vez a disponibilização do IFCE e da rede de Institutos Federais em partilhar suas soluções". O portal também deu origem a um App, que estará disponível em breve nas plataformas Android e iOS, aguardando somente que Google e Apple coloquem a iniciativa cearense em suas lojas de aplicativos.

Desenvolvimento em tempo recorde
A Plataforma Fique no Lar foi desenvolvida por meio dos laboratórios de Redes de Computadores (LAR), do campus do IFCE em Aracati, e de Inovação Tecnológica (LIT), do campus Fortaleza. Trata-se de uma solução on-line para disponibilizar à população informações sobre os empreendimentos comerciais e prestadores de serviços essenciais no Estado.

O sistema foi desenvolvido em curtíssimo prazo, dada a urgência da demanda. A equipe, formada por professores e alunos bolsistas, trabalhando de forma voluntária, levou apenas 3 dias para concluir a primeira versão do portal.

O Fique no Lar se diferencia pela menor burocracia para que o empreendedor se cadastre. Toda a negociação é feita entre o cliente e o comerciante, e não há intermediação pela ferramenta. O objetivo é dar visibilidade, conectar os consumidores com os pequenos e médios serviços e comércios de cada região, que são os mais afetados pela crise ocasionada pela pandemia.