Fonte: Governo de Goiás - Foto: GoiásFomento - Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento) - Governo de Goiás

No período, clientes do sexo feminino receberam desembolsos para investir ou ampliar negócios.

Atualmente, elas representam 47% dos clientes da agência estadual. Esse é o caso da Luana Ribeiro Costa, dona da Gatos de Rua Café, pequeno negócio estabelecido atualmente no Setor Universitário, em Goiânia. Ela contou que, durante a pior fase da pandemia, no ano passado, ficou sem recursos financeiros.

Luana Ribeiro Costa, dona da Gatos de Rua Café, com o crédito da Goiás Fomento estruturou um novo quiosque para trabalhar com o irmão e a mãe

Que a crise econômica foi difícil por conta da pandemia da Covid-19, ninguém nega. Entretanto, foi justamente nos momentos de dificuldades que as empreendedoras goianas mostraram todo o seu valor. Em 2020, o Governo de Goiás, por meio da GoiásFomento, liberou montante de quase R$ 38 milhões para microempresas cujo proprietário ou sócio-principal são mulheres, e também para microempreendedores individuais (MEIs) do sexo feminino.

Esse é o caso da Luana Ribeiro Costa, dona da Gatos de Rua Café, pequeno negócio estabelecido atualmente no Setor Universitário, em Goiânia. Ela contou que, durante a pior fase da pandemia, no ano passado, ficou sem recursos financeiros. Mas, ao obter crédito junto à GoiásFomento, foi possível alugar um quiosque e criar uma estrutura para trabalhar, juntamente com o irmão e a mãe. “Hoje somos uma empresa de família”, destacou.

Segundo Luana, foi possível comprar equipamentos, além de melhorar a qualidade dos fornecedores e dos produtos. Afirmou que a consultoria prestada pelo Sebrae-GO ajudou muito também. “Com todo esse suporte, apesar de a empresa ser pequena, nós constituímos um empreendimento comercial forte e que não se abala, o que nos faz crer que não teremos problemas para crescer”, disse.

Delivery
A microempreendedora acrescentou que adotou o sistema de delivery (entrega em domicílio), ferramenta que se tornou extremamente importante no ramo da alimentação, nesse período de restrições de funcionamento para o comércio e a prestação de serviços, devido à segunda onda da pandemia da Covid-19.

Ela ressaltou também que o capital de giro obtido junto à Agência de Fomento possibilitou a evolução do negócio neste momento difícil para os empreendedores. Agora, ela aguarda a retomada das atividades econômicas na capital para poder colocar adiante o sonho de se tornar uma franqueadora.

Papel fundamental
O presidente da GoiásFomento, Rivael Aguiar, ressaltou que as mulheres desempenham um papel fundamental no empreendedorismo no País. Como consequência dessa atuação, aumentam sua importância no financiamento e na manutenção dos lares. Conforme destacou, as mulheres goianas são muito empreendedoras e criativas e na pandemia, mais uma vez mostraram garra para enfrentar as dificuldades. Segundo Rivael, a Agência, atendendo à determinação do governador Ronaldo Caiado, tem dispensado atenção especial a suas clientes.

Ele citou que, em 2020, do total de desembolsos da GoiásFomento, 756 contratos foram destinados a negócios encabeçados por mulheres, o que possibilitou a manutenção e a geração de 3.182 empregos. Atualmente, o público feminino representa 47% dos clientes da agência estadual. A instituição financeira mantém o atendimento por meio do site www.fomento.com.br, de forma a garantir a todos os micro e pequenos empreendedores goianos o acesso facilitado a linhas de crédito para a sobrevivência e a futura expansão de seus negócios.