Fonte: Governo do ACRE - Imagem: Carreta ambiental

Sete municípios vão receber a carreta nessa segunda etapa do projeto, que já beneficiou comunidades rurais do Alto e Baixo Acre.

Uma nova rota foi traçada pela equipe da Carreta Ambiental – Programa de Capacitação e Atendimento Ambiental Itinerante e, até o mês de março, sete municípios acreanos serão contemplados com os serviços oferecidos. Sena Madureira, Manoel Urbano, Feijó, Tarauacá, Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves e Mâncio Lima vão receber a unidade móvel contratada pelo governo para disponibilizar atendimentos e serviços ligados aos órgãos ambientais.

Entre os principais atendimentos na unidade estão a capacitação de técnicos de prefeituras, dispensa de outorga, cadastro ambiental, programas de regularização e despacho de licença ambiental. A carreta permanece três dias em cada município.

Sena Madureira será a primeira cidade a receber a carreta em 2022, nos próximos dias 3, 4 e 5 de fevereiro. O projeto conta com apoio do Ministério do Meio Ambiente e governo federal e promove ações itinerantes que facilitam o acesso aos serviços públicos oferecidos pela pasta ambiental do Acre, principalmente para produtores rurais, populações tradicionais e ribeirinhas.

De acordo com o titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (Semapi), Israel Milani, o Acre tem se destacado entre os estados da Amazônia Legal com a iniciativa: “Apresentamos essa iniciativa na COP 26, que aconteceu na Escócia, e muitos estados estão também se mobilizando para adotar a ideia da unidade móvel. É muito importante aproximar as pessoas das ações ambientais, orientar o que pode e o que não pode ser feito e possibilitar uma regularização ambiental com fins lucrativos para os produtores rurais, no que já estamos trabalhando também aqui no Acre”.

A contratação se deu por iniciativa da Semapi, por meio de emenda parlamentar da deputada federal Vanda Milani, no valor de R$ 1,5 milhão.

Além da Semapi, órgão que coordena o projeto, vários parceiros atuam dentro da carreta ambiental, entre eles o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), o Instituto de Terras do Acre (Iteracre), a Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa), e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Como a estrutura também apresenta um viés cultural, as prefeituras colaboram com a sugestão de programação.