Fonte: Tribuna de Jundiaí Imagem: Pixabay

Eles ficam exaustos quando estão paralisados, então nós lhes damos algo que lhes permite andar, para que se sintam normais”, conta um dos voluntários

 

Um abrigo para animais abandonados inovou ao usar peças de carros de brinquedo e bicicletas para construir dispositivos de mobilidade para cachorros e gatos deficientes. Os projetos ajudam os animais a andar, correr e brincar novamente, mesmo sem próteses especializadas.

Os funcionários da Sociedade de Resgate Animal Sulala, na Faixa de Gaza, Palestina, trabalham para equipar cerca de 32 gatos e cachorros com as cadeiras de rodas improvisadas ou com membros artificiais feitos de madeira e metal reciclados.

“Eles ficam exaustos quando estão paralisados, então nós lhes damos algo que lhes permite andar, para que se sintam normais. Os animais também têm sentimentos”, disse Al-Aer, que ajuda a administrar o abrigo.

Case de sucesso
Um dos animais que o abrigo ajudou é Lucy, uma cachorrinha que sofreu um acidente com um carro e acabou com as patas traseiras paralisadas. A equipe lhe concedeu uma cadeira de rodas construída com as rodas coloridas, que tiraram de uma bicicleta infantil descartada.

Com a ajuda dos voluntários, Lucy desliza a parte superior do corpo através de um arnês que conecta um quadro metálico às rodas. Assim, suas patas traseiras ficam confortavelmente acima da parte de trás da cadeira.

De acordo com Ismail Al-Aer, tio de Said, que projetou o dispositivo, os projetos se adaptam a cada situação. Ismail criou um aparelho semelhante para gatos que sofrem com paralisia. Para isso, ele usa as pequenas rodas de um carro de corrida de brinquedo.

Situação precária
O projeto do abrigo tomou grande repercussão, e a ONG recebeu doações de instituições de caridade da Austrália e Grã-Bretanha. Gaza é dirigida por um grupo de militares Hamas e mantido sob um bloqueio liderado por Israel. Dessa forma, não há centros veterinários na região.
Embora tenha dois centros de próteses, eles estão ocupados fornecendo membros artificiais a cerca de 1,6 mil pessoas amputadas na Faixa de Gaza. Ainda assim, esses centros não oferecem serviços aos animais, o que faz com que a iniciativa do abrigo seja mais importante.

De acordo com o veterinário de Gaza, Bashar Shehada, a construção das cadeiras de rodas sanam muitos problemas para os animais. “As amputações caem, assim como as úlceras e feridas que resultam de animais rastejando.”