Fonte: Tribuna de Jundiaí - Imagem: Tim Gouw no Pexels

Motoristas podem ser multados e ter pontos somados à carteira de habilitação em caso de transporte inadequado. Confira o que determina a legislação.

Os animais fazem mais do que parte de nossas famílias, são praticamente uma parte de seus donos, já que são amados e mimados como nós mesmo, mas será que os tutores sabem a forma segura, correta e legal de transportar os bichinhos?

O Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran MG) informou, ao g1, que o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina regras que devem ser seguidas quando o pet for fazer algum tipo de deslocamento em veículos, seja para uma consulta, banho, passeio ou viagem.

O transporte de animais deve ser feito com equipamentos próprios disponíveis no mercado, como caixa de transporte, cinto de segurança peitoral ou assento de cadeirinha, de acordo com o porte do animal.

Ainda de acordo com o órgão, o transporte de maneira inadequada de animais, além de colocar em risco a segurança do motorista, dos passageiros e do próprio bicho, pode acarretar infrações previstas no CTB.

São elas:

Artigo 169 – Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança:
Infração leve – 3 pontos;
Penalidade – multa de R$ 88,38.

Artigo 252 – Dirigir o veículo transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas:
Infração média – 4 pontos;
Penalidade – multa de R$ 130,16.

Artigo 235 – Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados:
Infração grave – 5 pontos;
Penalidade – multa de R$ 195,23;
Medida administrativa – retenção do veículo para transbordo.

Conselhos da Médica Veterinária
A médica veterinária Carolina Pimenta salienta a importância de os animais serem transportados de maneira correta e segura.

“É importante conter o animal porque, em caso de acidente, ele pode ser lançado, se ferir e também ferir quem estiver no carro”, disse a médica.

De acordo com Carolina, no mercado pet existem várias caixas de vários tamanhos e modelos feitas com emborrachado, tecido e plástico, e o ideal é que elas sejam transportadas no banco de trás e presas ao cinto de segurança.

A veterinária disse ainda, que existem coleiras colocadas no peito do animal, o que não dispensa que os bichos sejam presos ao cinto de segurança do carro. Ela também falou sobre um forro emborrachado que pode ser colocado dentro da caminha, o que evita sujar o banco com poeira e pelo.

Carolina ainda comentou sobre uma mochila usada para transportar gatos. “Ela tem uma parte transparente e respirável”, disse a médica. Ela pode ser colocada no chão do carro, atrás do banco do motorista ou do passageiro, mas sempre presa ao cinto.