Fonte: Veja - Imagem: Polina Tankilevitch no Pexels

O sonho de dez entre dez tutores é garantir vida longa seguida de uma senilidade confortável para seu pet. De fato, com o avanço da Medicina Veterinária, é possível que os bichinhos tenham cada vez mais qualidade de vida e longevidade, livres de doenças que até pouco tempo causavam muito sofrimento para toda a família.

De acordo com a veterinária Ana Catarina Valle, Ph.D em Genética e Biotecnologia, existem formas naturais e simples de estimular a imunidade do seu bichinho e até mesmo tratar problemas sérios de saúde, como o câncer, por meio da homeopatia.

“Algumas doenças respondem mais rápido com terapias complementares, tais como os tumores malignos. O maior benefício com os tratamentos homeopáticos é o reequilíbrio da energia vital do organismo”, esclarece a especialista.

Ana Catarina explica algumas formas de preparar seu pet para ter mais longevidade. São dicas que vão desde homeopatia até exercícios físicos regulares. Confira:

Homeopatia Viscum album injetável
Este tratamento consiste em aplicações diárias, por meio de injeções, com intuito de estimular a imunidade e atacar as células do câncer. Segundo a veterinária, que estudou o medicamento durante os quatro anos de seu doutorado, comprovando seus efeitos, o Viscum album atua como citotóxico seletivo, contra as células tumorais e também age estimulando as defesas do organismo, sendo imunomodulador.

“Tenho dedicado minha vida a trabalhos nessa área em busca de melhores soluções para cura e controle de doenças crônicas, associada a melhor qualidade de vida de pacientes que não encontram saída pela medicina convencional”, explica ela, ressaltando que a melhora da qualidade de vida obtida pelos animais com câncer como resposta ao tratamento é significativa, associada a uma maior sobrevida – independente do estágio da doença.

“Como o medicamento age estimulando as células no sistema imune, melhora o apetite, diminui a fadiga, melhora a qualidade do sono, ou seja, promove de forma direta na qualidade de vida dos animais enfermos”, reforça a médica, lembrando que o tratamento também funciona muito bem para contra o diabetes e a melhora da imunidade.

Vacinas em dia
A vacinação dos pets não se encerra quando ele se torna adulto. Apesar de o número de doses ser maior nos filhotes, os tutores devem ficar atentos à vacinação e à vermifugação de seus pets durante toda a vida.

“A medicina está sempre evoluindo, e novos remédios e vacinas são desenvolvidos o tempo todo. A visita ao veterinário deve ocorrer regularmente para que o pet tenha acesso a medicamentos importantes lançados recentemente”, afirma Dra. Ana Catarina. Além das vacinas, há também vermifugação, que é importante para manter seu aumigo longe de parasitas que podem acabar com o bem-estar dele.

Alimentação saudável
Assim como os humanos, os animais nas últimas décadas vem ficando cada vez mais doentes, com alergias de todos os tipos. Isso se deve, em partes, aos maus hábitos alimentares, como os de consumir restos das refeições dos humanos. Pães com manteiga, bolos, doces, borda da pizza e outros “petiscos” podem levar o animalzinho à obesidade, além de provocar distúrbios gastrointestinais, intoxicação alimentar, vômitos, diarreia, mal-estar, etc.

Ana Catarina esclarece que quando o tutor fornece alimentos de seu próprio consumo para o pet, o organismo do bichinho precisa fazer um esforço grande para digerir aquele novo alimento, que geralmente contém ingredientes inadequados. “O ideal é dar a ele somente ração. A alimentação natural, que está em voga entre tutores, pode ser uma boa opção para quem pode se dedicar ao preparo – desde que tenha indicação de uma nutricionista veterinária”.

Brinquedos interativos
Os brinquedos servem para aliviar a tensão dos pets e distraí-los, garantindo a ludicidade do ambiente. Quando os pets vivem em locais que não disponibilizam nenhuma atividade, podem ficar mais sujeitos a ter problemas de saúde. “É importante garantir que o seu bichinho viva em um ambiente rico em estímulos, pois isso reduz as chances de problemas como ansiedade, depressão e fobias”, diz a veterinária. Segundo ela, esta é mais uma forma de aumentar a imunidade dos peludos.

Nesse sentido, uma outra forma de aumentar a imunidade do seu peludo é garantir que ele não sofra de problemas como ansiedade, depressão e fobias. Para isso, o adestramento é uma grande ajuda, mas também é importante garantir que o cão viva em um ambiente rico em estímulos, o que inclui o uso de diferentes tipos de brinquedos.

Exercícios físicos regulares
As atividades físicas são essenciais para que o pet tenha bom humor e saúde mental. Por natureza, nossos companheiros são animais ativos e precisam se mexer, principalmente os filhotes. “Se a atividade física é negligenciada, principalmente quando o animal vive em espaços pequenos, como apartamentos, é comum que o animal se torne irritado, impaciente e ansioso, podendo desenvolver quadros de depressão ou também sinais de agressividade”, explica Ana Catarina. Por isso, não é nenhuma surpresa quando assistimos àqueles vídeos nas redes sociais de bichinhos que destruíram móveis. Sendo assim, passeie com seu cão, crie oportunidades para ele correr, andar, pular e se exercitar. Trata-se de uma ótima forma de estreitar sua relação com ele e ainda aumentar sua resistência física e imunológica.