Fonte: Governo ES
Por: Juliana Esteves, Cristiana Barbosa e Angélica Carvalhais

A rotina dos capixabas depois de fazer compras está diferente por causa da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Antes, muita gente guardava os mantimentos do jeito que chegavam do supermercado. Agora, a higienização de embalagens e alimentos é feita assim que se chega a casa.

Fonte: Portal Fiocruz

Pesquisa da Fiocruz constatou que o medicamento Atazanavir, utilizado no tratamento do HIV, foi capaz de inibir a replicação viral, além de reduzir a produção de proteínas que estão ligadas ao processo inflamatório nos pulmões e, portanto, ao agravamento do quadro clínico da doença. Os especialistas também investigaram o uso combinado do atazanavir com o ritonavir, outro medicamento utilizado para combater o HIV.

Imagem: Pexels
Fonte: Portal do Governo de São Paulo

Cientistas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) investigam os processos pelos quais, no organismo humano, os marcadores podem auxiliar a indicar doenças. Vale destacar que a análise do conjunto de proteínas existente no plasma sanguíneo pode revelar diversos processos e até mesmo ajudar a diagnosticar algumas enfermidades.

Esse tipo de estudo é feito com uma pequena parte do plasma. Isso porque 90% da massa proteica do fluido correspondem a apenas 14 moléculas. Os 10% restantes são compostos por milhares de proteínas diferentes – entre elas, algumas usadas como marcadores de processos biológicos.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo
Por: Assessoria de Comunicação do IFSC/Rui Sintra

Aparelho desenvolvido pelo Grupo de Óptica do IFSC descontamina pisos, evitando a propagação de vírus pelos calçados

O Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da Universidade de São Paulo (USP) cedeu à Santa Casa da Misericórdia do município do interior do Estado dois Rodos UV-C para a descontaminação dos pisos do hospital, equipamentos desenvolvidos no próprio Instituto e que têm a particularidade de descontaminar grandes superfícies, principalmente durante a pandemia da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Fonte: Jornal da USP 
Imagem: Pixabay
Por: Thais Cardoso

Análise feita por projeto da USP em postagens de rede social mostra alteração na temática durante pandemia; conteúdo vai desde informações falsas até uso de produtos tóxicos como cura

Enquanto autoridades, profissionais de saúde e cientistas no Brasil e no mundo estão se esforçando para combater a covid-19 e seus efeitos, uma outra ameaça tem se espalhado principalmente por meio de redes sociais: a desinformação.

Subcategorias